Mundo 21.03.2014

Encontro Mundial das Famílias 2015 e o sino da liberdade

A Filadélfia acolherá famílias do mundo inteiro na 8ª edição do encontro, de 22 a 27 de setembro de 2015

Mathilde Dehestru
SHARES
COMMENTS
First one is free... so are the rest. Daily.



By submitting above you agree the Aleteia privacy policy
Like Aleteia

Mathilde Dehestru
21.03.2014
Paul Malo / Aleteia
Criado em 1994 pelo Beato João Paulo II, o Encontro Mundial das Famílias busca reforçar os vínculos sagrados da família no mundo inteiro. É um acontecimento de envergadura extraordinária, que atrai um público internacional: em Milão, no 7º encontro, estavam representados 153 países, e na Missa com o Papa havia mais de um milhão de pessoas.
 
Uma delegação dirigida pelo arcebispo de Filadélfia, Dom Charles J. Chaput, estará em Roma de 24 a 26 de março, para preparar o próximo encontro. Para os membros da delegação, será também uma oportunidade de reiterar ao Papa seu desejo de que ele esteja presente no evento.
 
O Sino da Liberdade, emblema da cidade de Filadélfia, foi escolhido como símbolo para o novo Encontro Mundial das Famílias. E isso não acontece por acaso: foi este mesmo sino que soou para reunir os cidadãos americanos durante a Declaração da Independência, em 1776.
 
Em nossa sociedade, tão dividida e dispersa, que melhor símbolo que o sino de uma cidade reconhecida pela luta acérrima pela defesa dos direitos civis e da liberdade religiosa?
 
O governador da Pensilvânia, Tom Corbett, expressou seu entusiasmo: “A Filadélfia é o lugar do nascimento da liberdade religiosa, e nossas igrejas, sinagogas e mesquitas são lugares de fé pessoal e de liberdade cívica. Mas são as nossas famílias que tornaram estas instituições grandes; são elas o fundamento desta liberdade”.
 
Para saber mais sobre o encontro: www.archphila.org e www.worldmeeting2015.org.
Criado em 1994 pelo Beato João Paulo II, o Encontro Mundial das Famílias busca reforçar os vínculos sagrados da família no mundo inteiro. É um acontecimento de envergadura extraordinária, que atrai um público internacional: em Milão, no 7º encontro, estavam representados 153 países, e na Missa com o Papa havia mais de um milhão de pessoas.
 
Uma delegação dirigida pelo arcebispo de Filadélfia, Dom Charles J. Chaput, estará em Roma de 24 a 26 de março, para preparar o próximo encontro. Para os membros da delegação, será também uma oportunidade de reiterar ao Papa seu desejo de que ele esteja presente no evento.
 
O Sino da Liberdade, emblema da cidade de Filadélfia, foi escolhido como símbolo para o novo Encontro Mundial das Famílias. E isso não acontece por acaso: foi este mesmo sino que soou para reunir os cidadãos americanos durante a Declaração da Independência, em 1776.
 
Em nossa sociedade, tão dividida e dispersa, que melhor símbolo que o sino de uma cidade reconhecida pela luta acérrima pela defesa dos direitos civis e da liberdade religiosa?
 
O governador da Pensilvânia, Tom Corbett, expressou seu entusiasmo: “A Filadélfia é o lugar do nascimento da liberdade religiosa, e nossas igrejas, sinagogas e mesquitas são lugares de fé pessoal e de liberdade cívica. Mas são as nossas famílias que tornaram estas instituições grandes; são elas o fundamento desta liberdade”.
 
Para saber mais sobre o encontro: www.archphila.org e www.worldmeeting2015.org.
Não perca as melhores histórias de cada dia.
Receba grátis por email o nosso resumo diário.



Comentários
; ;
Não perca as melhores histórias de cada dia.
Receba grátis por email o nosso resumo diário.



Seja Parceiro